Quando falamos do útero, é possível pensar em um ponto energético. Aquele órgão físico do tamanho de um punho fechado, carrega a potência da força criadora. Mas esta força excede ao órgão físico e transborda para a magia do simbolismo feminino. O útero representa todas as mulheres, com ou sem o órgão físico. Através deste ponto simbólico, que é a casa da alma feminina, parimos a nós mesmas, gestamos sonhos e concebemos projetos. Lá existe uma morada onde todas as mulheres puderam, podem e poderão se acolher, é o lugar de onde todos nós viemos. Por isso a conexão com centro uterino faz parte de um caminho de auto-conhecimento, libertação e cura.

O “Útero do Mundo” foi uma expressão escrita pela autora Clarice Lispector ao se referir ao útero no seu livro Água Viva. Este termo poético tem muito a ver com o movimento  mundial da Womb Blessing® (Bênção do Útero), do qual faço parte como Moon Mother®, focalizando círculos de mulheres. A região do ventre, é para uma Moon Mother®, um centro energético, ponto de força dentro de nós. O “Útero do Mundo”, aqui pode ser percebido como uma energia cósmica, universal que, ao se alinhar com a lua, emana luz para o planeta durante nossas meditações. Os exercícios compartilhados nas práticas da Bênção do Útero, nos levam a percepção de que a lua do céu pode emanar seus raios para dentro de nós, fortalecendo nossa reconexão com a energia cósmica, poderosa e primorosa que é a luz celeste, ao mesmo tempo que é possível nos alinharmos com as profundezas da terra nos conectando com as energias ancoradoras, internas e ordenadoras emanadas pelo centro do planeta. Nosso poder uterino, é ponto central para a conexão entre a terra e o céu. Por isso o simbolismo do “Útero do mundo” rege a compreensão da força que este ponto tem dentro de nós e fora também.

O útero, além de proporcionar a mais importante função humana – que é a concepção de um ser vivo – é também fonte de criação, abundância, e do surgimento de outras realidades, novas possibilidades de vida. Na contemporaneidade, ele tem sido representando entre muitas artistas – ligadas aos movimentos de reconexão com a feminilidade – e vemos singulares representações de úteros ornados de folhas, flores ou frutos. Foi dentro deste contexto que criamos os pingentes de útero na Incomun, celebrando nosso útero, que além poder gerar a vida, também é importante fonte de criação das ideias filhas. Por isso, o útero – físico, energético ou simbólico – quando alinhando com o poder da lua, pode ser um portal para encontrarmos nosso equilíbrio, repouso e auto conhecimento. Saiba que você tem um aliado na sua travessia terrena. Ele é um centro de força e campo simbólico de luta chamado útero.

 

 

 

 

Thaís Rocha é criadora na Incomun, Artista Visual,  mestranda em Poéticas Contemporâneas  e faz parte do movimento mundial da Bênção do Útero